Beira da estrada.


- E os segundos passam, voltam varias sensações das quais se proibiu de sentir
Se afastar, sair de lá tentar não pensar tentar não sentir.
Ficar meio inquieta, pegar um cigarro pra se acalmar, fumar mais de seis sentir não adiantar.
Querer ficar longe e nada encontrar, o tempo não passa ele para, olha prós lados e vê que já é hora de acabar, sai de lá em lágrimas com um cigarro na mão e outro a esperar, senta na grama como uma estranha e fica lá fumando sem parar, de novo se senti inquieta e vê que é a falta de amar. E continua lá na beira da estrada a esperar alguém chegar.

Sentado nas estaçoes



''Havia ali um homem sentado desesperado até, chorava de amor pela falta.


Nos seus olhos eu via medo, medo de estar sozinho e ninguém ligar, havia ido em festas e beijado todas as bocas idiotas que haviam lá, e talvez tenha perdido a que ele mais queira beijar.


Percebe o quanto ele se lamentava pela falta, havia marcas no olhar. Ele ruía as unhas alguém ali ele devia esperar, ele ainda chorava e mesmo assim o olhar mudava, mudava como cada estação do ano, ele pareceria sorrir e chorar. E estava feliz, apesar das magoas ele estava feliz, acho que ele lembrou de como é amar''.

Pregar a paz



'' Queria dar-te um beijo e um mar sem sal, queria dar- te o que eu sinto pois é tudo tão real.
Queria falar o que sinto pois tudo pode acontecer, queria não sentir medo deixar de sentir receio, queria ter te junto a mim com o sol e o mar
Queria dizer que é amor e se não for ?
Se não for eu prego a paz, e o meu querer se tornara capaz''.

Sensações


Sentir nada sentir tudo.
Andar de madrugada sem sair de casa.
sentir o vento e achar meio inserto,
viver de sonhos e amar a ilusão.
Gostar do pecado da falta de espaço, achar tudo um
tédio esquecer o resto. Não amar sentir-se sozinha
achar normal gostar do surreal, fingir mentir pensar agradar.
Esconder historias dizer não odiar, falar que foi fácil
e descobrir o improvável, acreditar nos outros achar tudo
uma conversa de tolos, estar fora do mundo tentar
acreditar, saber que foi o vento que não a ensinou a amar.


Meu sonho.


Parei as águas do meu sonho para teu rosto se mirar.
Mas só a sombra dos meus olhos ficou por cima, a procurar...
Os pássaros da madrugada não têm coragem de cantar,
vendo o meu sonho interminável e a esperança do meu olhar.
Procurei-te em vão pela terra,perto do céu, por sobre o mar.
Se não chegas nem pelo sonho,por que insisto em te imaginar ?
Quando vierem fechar meus olhos,talvez não se deixem fechar.
Talvez pensem que o tempo volta,e que vens, se o tempo voltar.




Cecília Meireles

Começo.


E nem se quisesse isso iria mudar, você tinha medo de tudo certo.
Olhar as estrelas na madrugada é o mais perto que possa chegar, e as vezes é tão simples que mesmo assim não se pode ter. Estar sufocada é o normal de tudo que ainda pode acontecer, sim sinta falta, falta do que a muito tempo não se senti, não falo de amor falo da liberdade, sentir o vento, andar sem se restringir e veja que você já foi melhor, e você gostava disso tudo.
O maior medo seria esse então, não poder sentir o vento a noite, tão pouco sentir as águas do lago que tem aqui perto, se esse foi seu medo tente sentir de novo, deixe o tempo ditar o que vai acontecer, e você já foi melhor e gostava disso tudo certo. E se pudesse mudar, mudaria ? sabia que iria ser sempre assim, você ainda gosta disso tudo, a ilusão te permite sonhar, sempre foi assim, você ainda acha que pode mudar, mais você já foi melhor. E tudo ainda é o começo.

Ariela Venâncio. Tecnologia do Blogger.

Agora, Aqui !

--------------

"Publicar um texto é um jeito educado de dizer “me empresta seu peito porque a dor não está cabendo só no meu.”

(Tati Bernardi)



De encontro.

Os Viciosos do Circulo.

- Siga-me por email