Cartas que eu não enviei.

Querida Ana...

Sinto sua falta, as vezes esse é o único sentimento que me toma.
As coisas andam turbulentas por aqui, eu me perco sempre quando me encontro.
E você sabe bem que eu odeio a satisfação, a satisfação de saber quem eu sou.
E sim, eu estou atolada no meu mundo, e não sei como voltar a me perder.
Não encontro uma forma de me enlouquecer sem me machucar.
Uma forma de me apaixonar sem perdas ou rejeições.
E penso também que isso acabe, por que eu gosto de um fim.
Ah! Se você  soubesse a quanto tempo convivo com a solidão
Não que isso me faça mal, mas aos domingos eu sinto falta de um colo.
Andei buscando, mas não passaram de fins de semana.
Acabaram antes mesmo de se pensar em um fim, e cá estou sozinha de novo.

Você as vezes me percorre, sempre quando estou na varanda a noite, me vem você a mente.
Sinto as vezes que é preciso não existir para poder ao menos buscar algum sentimento real.
O pior de tudo é que estou pressa, mas não quero uma liberdade agora
Ela seria em vão, eu não saberia o que fazer com ela, eu não saberia nem conviver livre.
A liberdade me empurraria para um penhasco e eu me jogaria sem medo.
Quero ficar um pouco com os pés no chão, sem muita arrogância, ou pretensão.
Sinto que eu só queria alguém para amar no domingo, alguém com toque
Com som, com alma, verdade, alguém que exista mais que procure sempre se perder.
Não sei, eu gosto dessa confusão. Mas me sinto meio louca.
E a loucura me torna míope, e cega morrei sufocada por tanta liberdade.

Sinto sua falta.

De: Arie.

1 Rabiscos de Outros:

a. 7:48 PM  

temos algo em comum: alguém que faz falta. li isso e fiquei com um sentimento de "como não pensei nisso antes".

Postar um comentário

Ariela Venâncio. Tecnologia do Blogger.

Agora, Aqui !

--------------

"Publicar um texto é um jeito educado de dizer “me empresta seu peito porque a dor não está cabendo só no meu.”

(Tati Bernardi)



De encontro.

Os Viciosos do Circulo.

- Siga-me por email