Garoto Tanto Faz.


Garoto evite.
Não imagine coisas, nada do que digo é garantido.
E nem tudo o que escrevo é o que eu sinto. Nada de desespero.
Foi um desencontro, nada de obsessão. Uma pequena confusão.
Garoto evite.
Não me empurre pela escada antes de eu me preparar para a queda.
Tenha um pré-aviso para a sua mudança de humor, que horror.
Foi só uma graça, uma brincadeira de merda.
O jogo não era para terminar assim, ele nem havia começado.
Estamos de lado, você seguia o mesmo ritmo.
Era um jogo, nada sério.
Mas algo ocorreu, - sem vitimas- e não foi da noite para o dia.
Você teve uma mudança de horas. Que feio isso!
Garoto eu ainda não havia lhe explicado que gosto de jogos.
Sim! Gosto de brincar de sentimentos é o mesmo de pique-pega.
Eu não te peguei, foi algo como pique vai à merda.
Mas confesso foi tudo muito engraçado, alguns copos a mais de álcool.
E eu me sentia no direito de te tirar o sossego, inutilmente brincando.
Só havia esquecido se de mencionar, que o meu jogo lhe incomodava e que não queria jogar, nem se sentar do meu lado apenas para observar, espectador.
Eu pouco percebia, nem me importava o que poderia aparentar.
Essa minha nova mania de te elogiar. Mas garoto não havia nada de mais.
Eu apenas havia achado um rapaz que lia algo além de um simples cartaz.
Repito e afirmo, foi só uma brincadeira, sem perdas e não pretendo repetir.
Nunca se tem a mesma graça ainda mais quando sou eu a culpada por pensar que tudo é diversão.
Não se importe tanto, eu não me importo.
Importo-me mesmo é com a gravidade dos meus sentimentos.
Que nunca é grave, o engraçado é que sempre acaba com algo do tipo:
- Não precisava ser assim.
Mas foi assim, você virou camaleão, e eu fiz confusão.
Evite garoto, eu sou sempre assim.
Meio maluca às vezes estúpida. Mas era algo como amizade. Tanto faz.
E repito, não passava de uma brincadeira, meio traiçoeira.
Mas não tinha nenhuma má intenção, nem ponto de exclamação.
Foi apenas uma diversão.
Mas confesso não estava preparada para queda nem para o seu empurrão.

- Ouvindo: (Radiohead)

1 Rabiscos de Outros:

Fernanda Mendonça 2:26 PM  

kkk... super sincero.

Postar um comentário

Ariela Venâncio. Tecnologia do Blogger.

Agora, Aqui !

--------------

"Publicar um texto é um jeito educado de dizer “me empresta seu peito porque a dor não está cabendo só no meu.”

(Tati Bernardi)



De encontro.

Os Viciosos do Circulo.

- Siga-me por email